TRÍDUO A SANTA TERESA DE LOS ANDES POR OCASIÃO DO CENTENÁRIO DE SUA PÁSCOA COM SEU ESPOSO CRISTO.

(10 a 12 de julho de 2020)

PRIMEIRO DIA

A fé teológica

Nascida em um ambiente de profunda fé católica, Juanita Fernández nos deixa um bom significado do que é a fé, quando já no Carmelo, o fruto de um retiro de 1919 compreendeu que: "Uma Carmelita deve sempre viver em Deus pela fé, esperança e caridade. A vida da fé não consiste  apenas em apreciar e julgar coisas e criaturas de acordo com o julgamento de Deus sobre elas. Por exemplo, uma humilhação com espírito de fé é recebido com alegria, pois por ela se assemelha mais a alma a Jesus humilhado (D 57). A Palavra era a vida de homens e mulheres, que  a escutam e meditando-a vivificam suas vidas (Jn1,1).
Em sua alma, reverbera essa luz de fé, que agora abre seu olhar contemplativo. Aconselha sua mãe: "Deixe-se  invadir por Deus. Viva em Deus pela Fé. Tudo muda quando se olha para este Sol Divino. Que  a fé seja a lente que lhe descobre para seu Criador. Uma alma com fé tem tudo, porque tem Deus. Os sofrimentos são transformados com ele" (Cta.120). Dor e fé conjugadas , com alegria e confiança em Deus.
 A fé cria vazio no entendimento, para comunicar a inteligência da fé (2 Subida 6,2).
Transformada pela notícia amorosa do amor divino (2 Noite 18.5; Chama B 3,9), espera o gozo de entrar na visão beatifica e contemplar a Face de Deus para sempre (Cantico B 12,6).
"Sim, minha  Isabelita; podemos viver em eterna comunhão com  o Amor, unindo-nos à sua vontade. Que não encontre nenhuma resistência em nossa alma. Nela deve reinar sempre um ambiente de fé. Neste ar puro não se perde essa voz de Deus que deve prevalecer em nossa alma. Que ela seja  como uma  participação Dele. Deus, em si mesmo, sempre quer obras; que nós, perdidas como nadas em sua imensidade,façamos também o que Ele quer. Como queremos nos assemelhar a  Ele, se não trabalhamos sua divina vontade ? Ao amá-la e abraçá-la, queremos e praticamos um bem infinitamente querido por Deus, um bem que leva  em si a razão eterna; um bem em que há sabedoria eterna; um bem em que há poder infinito, um bem em que nele existe, concentrado, todo amor, a santidade do nosso Deus. Ao executar esse bem,  acaso não agimos de acordo com Deus? Para agir de acordo com Deus, somos outro Deus; em uma palavra, nós somos Ele. (Cta.149). Teresa havia entrado no agradável jardim e no interior da vinha do Esposo Cristo (Cantico B 22,26), seu mestre São João da Cruz  acompanha-a em sua jornada de fé para chegar ao cume do Carmelo, onde só habita a glória de Deus.

Preces
Elevemos nossas preces ao Pai através do Filho no Espírito Santo.

R-  Dá – nos viver uma fé pura e verdeira.

– Pai te pedimos  pela  Igreja  para que comunique a luz da fé a todos os povos com o
pregação da Palavra, a celebração dos Sacramentos, e o testemunho orante de seus filhos.R.

– Pai te  pedimos por todas as famílias cristãs, para que vivam a fé em Cristo também fora de casa, em seus ambientes de estudo, trabalho e lá sejam santificados. R.

– Pai te pedimos  pelos enfermos, os desempregados e todo o sofrimento para que a fé  ilumine essas realidades sombrias e descubram Jesus Cristo, luz do mundo. R.

– Outras intenções…

Pai Nosso…
Oremos:  Pai Santo que infundiste em sua filha Teresa dos Andes uma fé luminosa e cristalina porque é de Cristo, forte e limpo de erros,concede – nos, como ela, descobrir tua mão suave na caminhada de nossas vidas e nos conceda através de sua intercessão a graça que invocamos. Por Jesus Cristo nosso Senhor. Amém.

SEGUNDO DIA

Esperança Teológica

Se há  uma virtude que Juanita Fernández praticou e entendeu  foi a esperança teologal. Espera que transformou-se em esperança no Senhor: para receber  a comunhão, para esperar a conversão em sua família, de seus irmãos Miguel e Luis, a melhora dos assuntos econômicos de seu pai e sua entrada no Carmelo. A esperança teológica move a fé e a caridade na caminhada de sua vida espiritual. Seu objetivo, a posse de Deus nesta e na vida eterna; despojar-se de tudo o que não é Deus, é a chave. Para colocar na memória a notícia da vida eterna, cria vazio de toda a posse (2 Subida 6.3, 3 Subida 1-15). “Porque a esperança do céu, / tanto alcança quanto espera”, diz o poeta João da Cruz (Poesia X Depois de uma lança amorosa).

A peregrinação de Juanita Fernández ao Carmelo dos Andes não careceu de obstáculos. Antes de empreender a viagem em 11 de janeiro de 1919, se abandona em oração e vôo de esperança certa,como que banido para a pátria do céu. “A alma que tem sua esperança em Deus não tem o que temer, porque todos os obstáculos, as dificuldades, Ela as supera.”

 (D 48).

Consola sua mãe desde do Carmelo, pelos problemas que trazes com amargura . “Tenha confiança em Jesus. Seu coração se move levemente . Não pode suportar que as  ovelhas de seu rebanho se extraviem . Ele deixa as 99 para ir em busca daquela que  O  abandonou” (Cta.113). As ovelhas perdidas, os mais imediatos eram os  seus irmãos um boêmio, o outro tinha perdido na fé, o que trazia sofrimento ao coração de sua mãe.

Vestida com o hábito da Virgem Maria, em 14 de outubro de 1919, como noviça, com novo
nome, Teresa de Jesus,se  propõe ser uma santa carmelita.  A Sra. Lúcia tinha entrado na
Ordem Terceira do  Carmelo Secular, portanto, também noviça, mas no mundo. A filha monja
torna-se mestra da mãe nas coisas do espírito. Aconselha-a  colocar os olhos no Crucificado, e encontrará alívio, sofrer em silêncio e alegria, que tudo é pouco, a fim de salvar as almas da família que estão a seu comando como mãe e carmelita. Ela encoraja a mãe com estas palavras: “Vamos nos jogar com nossos defeitos e pecados no abismo, no oceano de misericórdia. Jesus se compadece  de nossas misérias, conhece  a fundo o nosso pobre coração. Então não tenha medo. que o medo seca o amor. (Cta.143).


Preces

Elevemos nossas preces ao Pai através do Filho no Espírito Santo.

R-  Dá –nos viver o gemido de uma esperança certa nos bens do Reino.

– Pai te pedimos pela  Igreja, para que a esperança teologal  esvazie-nos da ansiedade desordenada de bens temporários para corrigir nossa memória sobre os bens invisíveis do Reino de Deus, justiça e verdade, amor e a paz. R.

– Pai te pedimos por aqueles que não têm nenhuma razão de esperança, para que o  testemunho dos cristãos seja luz  na vida desses irmãos e irmãs. R.

– Pai te pedimos pelas crianças e jovens para que se  abram a vida ,para que seus desejos e projetos possam ser concretizado em suas vidas com a ajuda de seus pais. R.

– Outras intenções…

Pai Nosso…

Oremos: Pai Santo, esperança dos  que crêem em ti concedeste a Santa Teresa dos Andes uma fé em uma esperança  certa de alcançar as graças que te  apresentava  através da oração, por sua intercessão, aumenta nossa esperança de alcançar os bens que a fé nos promete, e para obter o que agora com plena confiança lhe pedimos  Por Jesus Cristo nosso Senhor. Amém.

TERCEIRO DIA

Caridade teológica

Essa virtude da caridade é o amor de Deus que o Espírito Santo derrama em nossos corações e que nós, por sua vez, derramamos no coração do próximo, quando atendemos às necessidades de nosso próximo. A caridade esvazia em nossa vontade todo afeto do egoísmo, até a raiz do que não seja de Deus (2 Subida 6,4; 3 Subida  16-45). O afeto e o amor do cristão, de Juanita, neste caso , ele se volta para Cristo, em quem o Pai nos ama pelo Espírito Santo. Enamorada de Jesus Cristo fará o impossível para encontrá-lo, até se unir a Ele por uma visão clara e essencial, porque se sente ferida por seu amor. Esse amor é igual ao dos amantes, daí a  semelhança  com Cristo e que realiza  união com ELE.

Para uma amiga  desde do Carmelo, em outubro de 1919, ela abriu seu espírito para comunicar o alto grau do amor que arde em seu coração, é obra de viver e mover-se em amor e por amor. Cheguei a amar Deus somente por  aquilo que Deus é . É o exercício do amor que São João da Cruz recomenda: “ Como se dissesse todos esses ofícios estão empregados no exercício do amor de Deus, isto é, toda a capacidade de alma e corpo, memória, entendimento e vontade, sentidos interiores e exteriores, inclinações da parte sensitiva e da espiritual, tudo agora só  se move por amor e no amor,tudo quanto faço é com amor, e tudo quanto padeço é com gosto do amor. Isto quis dar a entender Davi ( Sl 58,10) quando disse: “ Guardarei para ti a minha fortaleza” ( Cantico B 28.8).

A primeira parte refere-se a Jesus Cristo. “ A medida que conhece a este Deus-Homem, vai amando-o loucamente. Qusiera que tu o conhecesse para que  te enamorasses verdadeiramente Dele.

Como não amar a esse Jesus com toda a nossa alma? Aquele que é a beleza incriada; Ele, a Sabedoria eterna; Ele, a  Bondade,  a Vida, Amor. Como  não poderá a alma abrasar-se  em caridade à vista desse Deus que é arrastado pelas ruas de Jerusalém com a cruz nos ombros; em vista desse Deus constituindo-se em alimento de suas criaturas, fazendo pão para unir-se a elas,divinizando-as e convertendo-as Nele? Oh! Ama a Jesus. Quem poderá melhor te corresponder? Ele está sedento do teu coração. Não O sentes quando depois de comungar te diz: “Filha, dá-me teu coração”?” ( Cta 136).

A segunda, referindo-se aos primeiros pobres e necessitados que é o próprio Jesus, representado em todo próximo. “Todo um Deus infinito  mendingando um coração pobre e mesquinho, apesar do fato de que Ele derramou todo o seu sangue, mesmo que tenha se feito   pão para  te alimentar. Vive com Ele no íntimo  da sua alma. “Aquele que faz a vontade de meu Pai, esse me ama e eu e meu Pai o amamos e nós viremos a ele e construiremos uma morada dentro dele. “Isto te diz Jesus. Assim pois, cumpre teu dever e  viverás com Ele ali, em tua alma, como em uma célula. E poderás  ouvir e ver em todos os momentos do dia.

Adeus. Nele te deixo, sua indigna Teresa de Jesus (Cta.136).

Este texto é uma excelente síntese de toda a vivência da virtude, da caridade para com Deus e ao próximo com os quais  viveu S. Juanita Fernández, então Teresa de los Andes. Sua caridade derramou-a na ajuda social, na catequese paroquial; em missões todos os verões nos campos. A mais delicada e primorosa caridade, ela a  derramou sobre sua família e suas amigas, com as quais exercia um autentico  magistério espiritual levando-as a Deus, ao amor de Jesus Cristo, manifestado em Belém, na Cruz e na Eucaristia, toda brotada no coração de Jesus, transpassado, repleto do amor divino pelo homem.

 
Orações

Elevemos nossas preces ao Pai através do Filho no Espírito Santo.

 R.- Pai,  só amar é o exercício.

– Pai,  te pedimos pelo  Papa Francisco, para que somente oTeu o amor o mova a exercer seu ministério Petrino a serviço de toda a Igreja. R.

– Pai,  te pedimos por todos os batizados para que seja o amor a mover sua vida de fé e

 esperança e os leve a buscar Jesus Cristo e os bens do Reino. R.-

– Pai, te pedimos para que a caridade nos impulsione a sair ao encontro dos necessitados e ver em seus rostos o próprio Cristo. R.-

– Outras intenções …

Pai Nosso…

Oremos: Ó Pai, que em teu Filho nos amou desde toda a eternidade. Assim como o amor mudou Santa Teresa dos Andes e foi em busca do Esposo, o Cristo, faça-nos também responder com todas as nossas forças com um amor forte e ardente que consuma nossa existência a serviço da Igreja e de nosso próximo até alcançar a união transformadora na eternidade. Que Teresa dos Andes, movida pelo amor ao próximo, interceda por essa graça que nós imploramos. Tu que vives e reina pelos séculos dos séculos. Amém.

Autor: Padre Julio González C.

Pastoral da Espiritualidade.

Tradução: Márcia Ap. G. de Andrade, ocds

Com. Alegria da Sagrada Face

Província São José

Observação: Nosso agradecimento ao Frei Alzinir, Delegado Geral para a OCDS, que nos enviou o texto original em espanhol.

Também agradecemos a Rose Lemos, ocds, Presidente da Província São José, que nos enviou a tradução.

Santa Teresa de Los Andes, rogai por nós!