Hoje celebramos no Carmelo a festa litúrgica de Nosso Pai e Inspirador, Santo Elias. Diferentemente das demais famílias religiosas, o Carmelo não tem um FUNDADOR, e sim, um INSPIRADOR. Todo fundador é per si um inspirador, mas nem todo Inspirador é um fundador. Este último caso aplica-se a Santo Elias com referência a Ordem Carmelita. O profeta Elias não recrutou em torno de si um grupo, para viver um carisma, um modo de vida, como aconteceu com São Francisco, São Bento e outros santos fundadores. Na verdade a vida de Santo Elias serviu de inspiração, para um grupo de peregrinos e ex-cruzados, que no Século XVI, passaram a habitar no Monte Carmelo, e lá, Inspirados na vida do profeta Elias, começaram a viver uma austera vida eremítica, de silêncio, oração, contemplação, na castidade, na pobreza e na obediência. 


O Monte na Sagrada Escritura é o lugar por excelência da manifestação e da contemplação de Deus. No Monte Carmelo o Profeta Elias teve contemplações divinas. Foi no Monte Carmelo que em oração, Deus revela ao povo, através de Elias que ele é o único Deus, que merece o nosso Sacrifício de louvor, manifestando sua presença naquele monte, no fogo que devorou o holocausto oferecido aos deuses. Na nuvem pequenina que sobe do mar, e que séculos mais tarde os Carmelitas vão associar com a Virgem Maria, visto que a nuvem é sinal da presença de Deus na Sagrada Escritura, e Maria é sinal da presença de Deus para o Carmelo, Deus se revela presente na vida do povo seu. Presença de Deus que se expressa também na chuva forte que caiu sobre o Monte Carmelo após tais fatos, conforme está escrito no primeiro livro dos Reis ( 1Rs 18,36-49,41-45a).

Inspirados em Santo Elias, o Profeta, os Carmelitas começaram a viver em obséquio de Jesus Cristo, numa busca incessante da contemplação da face de Deus. Estar no Monte Carmelo, a vida do(a) Carmelita, é permanecer na presença de Deus que passa, e que se manifesta no silêncio e na suavidade da brisa leve, e arder em amor pelo Senhor Deus dos Exércitos (1°Rs 19,4-9a.11-14a). O exemplo do profeta Elias nos convida a subir e permanecer diariamente no Monte, compreendendo não apenas monte como lugar geográfico, mas o monte que é Cristo, o Filho de Deus, o rosto humano do Deus, a quem amamos, servimos diariamente, e queremos um dia contemplar. 


Numa sociedade onde reina o barulho e agitação, é um desafio para os cristãos, fazer essa experiência de subir o monte, de viver o silêncio, de escutar atentamente a voz do Senhor Amado, que clama por nós, dentro de nós. Sem o monte, não há silêncio; sem silêncio não há retiro; sem retiro não há contemplação; e sem contemplação, não ha visão da face de Deus nem intimidade com ele; sem intimidade com Deus, não conhecimento de mesmo, e sem conhecimento de si mesmo, não há ser humano. 


Que o Profeta Santo Elias, Pai e Inspirador dos Carmelitas interceda por nós com a Santíssima Virgem Maria a Jesus Cristo, para que possamos sob a sua proteção subir à verdadeira montanha que é Cristo, o Filho de Deus, o monte da santidade e da perfeição.

Fonte: Filhos de Santa Teresa