Responder o chamado de Deus é sempre uma aventura, mas vale a pena correr o risco. Santa Teresa Benedita da Cruz

Quem foi essa mulher do nosso tempo? Santa Teresa Benedita da Cruz, irmã carmelita descalça, ou, simplesmente, Edith Stein, doutora em filosofia.

Ela foi uma santa carmelita descalça, mártir em Auschwitz, onde sofreu as consequências da perseguição violenta contra o seu povo judeu.

Na sua vida temos um testemunho da santidade de alguém que fez a “passagem” do judaísmo para o cristianismo, passando por muitos desafios. Não foi fácil para ela se assumir católica, mas ela não esteve sozinha nesta subida do Monte Carmelo. Ela pôde contar com a inspiração de Santa Teresa de Jesus, além da amizade daqueles que a ajudaram a manter o passo firme no rumo da Verdade.

Nem sempre ela sabia para onde estava caminhando, mas a fé iluminava aquela noite tão escura… Sob a Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, Santa Teresa Benedita da Cruz aprofundou contemplativamente a compreensão da sua vocação como parte do Povo de Deus. Neste mês vocacional, essa Santa intercede pelas pessoas que estão em discernimento e lhes diz: “o lugar de cada um de nós depende unicamente da nossa vocação. A vocação não se encontra simplesmente depois de ter refletido e examinado os vários caminhos: é uma resposta que se obtém com a oração”.

Em nome da Província Nossa Senhora do Carmo (OCDS), partilho essa palestra sobre a Verdade da Cruz na vida de Santa Edith Stein que a Irmã Jacinta Turolo Garcia (ASCJ) ministrou, anos atrás, no Carmelo de Curitiba e, ainda hoje, nos faz refletir.”

Carlos Eduardo da Eucaristia – OCDS

A VERDADE DA CRUZ (Edith Stein)

Muito se tem escrito sobre Edith Stein. A cada novo olhar, no entanto, é possível descobrir-se nova riqueza escondida nessa personalidade marcante e ímpar, marcante porque ímpar. Quando nos propusemos a refletir sobre sua disposição heroica de abraçar a cruz com os seus irmãos e por eles, verificamos quantas vezes isto foi objeto de aprofundamento por estudiosos da filosofa, e o quanto este tema foi abordado por ela, em perfeita sintonia de pensamento e vida, mesmo deixando materialmente inacabada, a obra que, na prática demonstra ter aprendido e realizado plenamente: “A ciência da Cruz”.

A cruz se faz presente na vida de Edith Stein de uma forma arrebatadora, desde que encontra Cristo Deus Homem e a Verdade do mistério da libertação pela Cruz, que é o único meio de redenção.

O que pode nos ajudar não é a atividade humana, mas a paixão de Cristo. Meu desejo é participar dela. Santa Benedita da Cruz

Sabemos porque é TERESA, entre as Carmelitas Descalças. Afinal, converteu-se radicalmente ao cristianismo e ao ideal carmelitano após seu encontro espiritual e intelectual com Teresa d’Ávila. Sabemos por que é BENEDITA: sua amorosa reverência a São Bento levou-a a essa homenagem na escolha do nome religioso. Por que DA CRUZ e não apenas Cruz? Com certeza não foi por uma questão de heráldica, com certeza quis imprimir o sentido da entrega, o sentido da pertença. Ela pertencia à Cruz, ela abraçou a Cruz; e, assim como Ele não se valeu da condição de Filho de Deus para escapar da Cruz, também ela não se valeu da condição de batizada. Enfrentou a cruz e a venceu.”

Autora: Irmã Jacinta Turolo Garcia (ASCJ)

* Palestra ministrada no Carmelo de Curitiba.