“Casa de Deus”

Inabitação da Santíssima Trindade

Sinal da Cruz.
Vinde Espírito Santo.

O mistério da Santíssima Trindade é o mistério central da fé e da vida cristã. Pela graça do batismo, somos chamados a compartilhar da vida da Santíssima Trindade, aqui na terra, na obscuridade da fé. Desde já somos chamados a ser habitados pela Trindade: “Se alguém me ama –  diz o Senhor – guardará a minha palavra, e meu Pai o amará e viremos a ele, e faremos nele a nossa morada”  (Jo 14,23).

Com o mistério da Inabitação da Santíssima Trindade, tocamos o ponto central da doutrina de Elisabeth da Trindade. Por uma graça única ela soube encontrar essa presença das Três Pessoas Divinas no íntimo de sua alma, segredo de sua felicidade, que a fez de sua vida um céu antecipado, o “céu na terra”.

Para Elisabeth, descobrir-se habitação divina deu um sentido novo à sua existência. Descobriu-se membro da “família de Deus” imersa e absorvida por esta verdade: “Deus em mim, e eu nele.”

“Todo o meu exercício consiste em entrar dentro de mim, e perder-me naqueles que aí estão.” (Carta 179)

“Vivamos com Deus como com um amigo. Tornemos nossa fé viva, para em tudo comungarmos com Ele. É isto que faz os santos. Trazemos o Céu em nós, pois Aquele que sacia os bem-aventurados na luz da visão, se dá a nós na fé e no mistério. É o mesmo. Parece-me ter encontrado o Céu na terra, pois o Céu é Deus e Deus está em minha alma. No dia em que compreendi isto, tudo se iluminou para mim, e quisera dizer este segredo, baixinho, àqueles que amo”. (Carta 122)

“Foi isto que fez de minha vida, eu vo-lo confio, um céu antecipado: crer que um Ser, chamado Amor, habita em nós, a todo instante do dia e da noite, e nos pede que vivamos em sociedade com Ele”. (Carta 330)

Reflexão…

“O Reino de Deus está dentro de vós.”  Lc 17,21

Oração: Pai Nosso, Ave-Maria, Glória

Para meditar:
Elevação à Santíssima Trindade
Ó meu Deus, Trindade que adoro, ajudai-me a esquecer-me inteiramente de mim mesma para fixar-me em Vós, imóvel e pacífica, como se minha alma já estivesse na eternidade. Que nada possa tirar a minha paz, nem me fazer sair de Vós, ó meu Imutável, mas que a cada instante eu me adentre mais na profundidade do Vosso Mistério.

Pacificai a minha alma, fazei dela o vosso céu, vossa morada preferida e lugar de vosso repouso. Que eu jamais Vos deixe Só, mas que aí esteja toda inteira, completamente desperta em minha fé, completamente entregue a Vossa Ação Criadora.

Ó meu Cristo Amado, Crucificado por amor, quisera ser uma esposa para Vosso Coração. Quisera cobrir-vos de glória, amar-vos …até morrer de amor. Sinto, porém minha impotência, e peço revestir-me de Vós mesmo, identificar a minha alma com todos os movimentos da Vossa, substituir-me, invadir-me, subtrair-me para que minha vida seja uma irradiação da Vossa. Vinde a mim como Adorador, como Reparador e como Salvador.

Ó Verbo Eterno, Palavra de meu Deus, quisera passar minha vida a escutar-Vos; quisera ser de uma docilidade absoluta para tudo aprender de Vós. E depois de todas as noites, de todos os vazios, de todas as impotências, quero ter os olhos sempre fixos em Vós, e ficar sobre Vossa Grande Luz. Ó meu Astro Amado, fascinai-me, para que não me seja mais possível sair de Vossa Irradiação.

Ó Fogo Devorador, Espírito de Amor, “vinde a mim” para que se opere em mim como que uma Encarnação do Verbo; que eu seja para Ele uma humanidade de acréscimo onde Ele renove todo o Seu Mistério. E Vós, ó Pai, olhai para vossa pobre e pequena criatura, cobri-a com Vossa Sombra, vendo nela somente Vosso Bem-Amado, no qual pusestes todas as Vossas complacências.

Ó meu Três, meu Tudo, minha Beatitude, Solidão Infinita, Imensidade onde me perco, entrego-me a Vós como uma presa. Sepultai-Vos em mim para que eu me sepulte em Vós, até que possa contemplar em Vossa Luz, o abismo de Vossas grandezas.

Oração final: Senhor, nosso Deus e Pai, nós te louvamos e bendizemos porque suscitastes na tua Igreja e no Carmelo a Santa Elisabeth da Trindade, para que nos ajudasse a descobrir-nos cada vez mais habitação eterna do Amor Trinitário. Senhor, que toda alma que sofre de solidão, depressão e tristeza possa buscar em Elisabeth um modelo de comunhão e de intimidade com o mistério Trinitário. Saber-nos amados, habitados pela Trindade Santa, é motivo para sermos desde já sempre felizes e o céu, o paraíso sem fim. Que Maria, habitação da Trindade e Porta do Céu nos abençoe. É o que te pedimos, por Cristo, Vosso Filho e nosso Senhor, na unidade do Espírito Santo. Amém.

Fonte: Alma Carmelita