Por Frei Patrício Sciadini, OCD.

Lc 23,35-43

Último domingo do ano da Igreja e solenidade de Cristo Rei do universo, um titulo velho mas uma festa nova, foi o Papa Pio XI que a institui em 11 de dezembro de 1925 quando todas as monarquias do mundo estavam em crise e caiam dando espaço aos regimes republicanos.

Era tempo do nascimento de novas ditaduras, de idolatria do homem e da exclusão de JESUS da vida e do CORAÇÃO do homem;
Era o tempo da “RAÇA” que se afirmava com o poder, excluindo os outros…

A primazia, o reino de Jesus sempre deu medo não nos pobres e nem nos simples e nem nos pecadores mas nos prepotentes.
Como Herodes que perdeu a cabeça quando os Magos lhe anunciaram o nascimento de um novo rei.

Jesus deu medo em Caifás e nos judeu que queriam que não se colocassem na cruz
JESUS NAZARENO REI DOS JUDEUS…

JESUS REI não dá medo nos pobres, nos pecadores, nos sofredores nem no ladrão crucificado com Ele que quer fazer parte do seu reino.
LEMBRA-TE DE MIM QUANDO ESTIVER NO TEU REINO

O reino de Jesus se afirma com o AMOR, vive de AMOR é rei do universo pela força do AMOR, é REI dos CORAÇÕES que amam e se deixam amar.
JESUS é REI que não domina nem oprime
Não obriga…..”o documento” de cidadania é o amor, as obras boas.
É tempo de fugir não do reino de Jesus mas de renunciar a todos os “REINOS” que nos esvaziam dos valores do Evangelho.

ORAÇÃO: MARIA, rainha, ensina-nos a ser discípulos do REI JESUS.
Uma solenidade que nos recorda que devemos sair do reino da morte para o reino de luz.


Deixemo-nos guiar por Jesus, rei do universo, e então compreenderemos que é necessário defender o universo, “casa de todos”, e defender o homem para que se rebele contra qualquer tipo de escravidão. A liberdade e a VERDADE nos farão LIVRES, A SERVIÇO DE DEUS E DOS IRMÃOS E IRMÃS.
Amém.